terça-feira, 14 de julho de 2009

Deveriam os cristãos jejuar?




Jejuar significa abster-se de alimento por um certo período de tempo. No Velho Testamento, o jejum está geralmente associado com três coisas: tristeza (Juízes 20:26; 1 Samuel 31:13; 2 Samuel 1:12; 1 Reis 21:27; Ester 4:3; Salmo 35:13; Daniel 6:18); confissão de pecados (2 Samuel 12; 1 Samuel 7:6; Jonas 3:5; Neemias 9:1); e buscar o Senhor (2 Crônicas 20:3; Esdras 8:21, 23; Ester 4:16; Joel 1:14; 2:15; Neemias 1:4; Daniel 9:3). Muitas vezes estes elementos de aflição, confissão e oração foram juntados em períodos de jejum. Um dia regular de jejum foi observado pelos judeus todos os anos: o dia da expiação (Levítico 16:31; veja Atos 27:9). O dia da expiação era naturalmente associado com aflição, confissão e oração, quando o povo se recordava dos pecados que havia cometido durante o ano e oferecia sacrifícios pela sua purificação.

Nos dias do Novo Testamento, os fariseus tinham transformado o jejum em um ritual e um espetáculo. Jesus ensinava que o jejum é para ser feito em particular e não para impressionar os outros (Mateus 6:16-18). Ele também ensinava que o jejum é para ser feito em ocasiões apropriadas, isto é, em tempos de aflição (Lucas 5:33-39). O jejum não é um ritual mecânico, para ser praticado simplesmente com o propósito de jejuar. Mas quando a tristeza, a culpa ou a necessidade por uma comunicação mais íntima com o Senhor pede isso, então o jejum pode ser praticado.

Ainda que o Novo Testamento nunca ordene o jejum, ele mostra que os cristãos primitivos ocasionalmente jejuavam, quando as circunstâncias eram propícias. Por exemplo, em Atos 13:2-3, a igreja jejuava quando enviava dois dos seus professores numa longa viagem de pregação. Em Atos 14:23, as igrejas jejuavam quando indicavam anciãos. Jejuar nunca deveria ser pensado como um meio de manipular o favor de Deus ou como um modo de fazer com que Deus ficasse mais atento às nossas orações. Antes, jejuar pode ser um meio de nos aproximarmos do Senhor, orando e meditando no Senhor, sem interrupção para tomar uma refeição. E o jejum é, freqüentemente, o acompanhamento natural da aflição e da triste confissão de pecado.

-por Gary Fisher http://www.estudosdabiblia.net/bd210.htm

sdv

5 comentários:

Anônimo disse...

Deus é misericordioso, Ele é grande. O senhor Jesus é nosso refugio, nossa fortaleza, rocha firme e nele confiarei. Quando não temos mais forças , Deus trabalha e nos carrega no colo. É o rei de hj, sempre e eternamente. Amém!

Alexandre Aguilarf disse...

irmão APD,

por quanto tempo devemos jejuar?
o o que deverá ser mantido em abstinencia, é permitido agua ou algum sólido??

obrigado

Alexandre Aguilarf disse...

Tu és o caminho a verdade e a vida, me conheces desde o ventre de minha mãe e estará comigo até os ultimos dias de minha vida!

Verdade seja dita disse...

Acredito q o jejum é a conexao mais direta q temos com Deus por isso devemos jejuar para nos purificar e nos santificar claro q muitas vezes jejuamos com propositos para se alcançar só acho q se estou me sentindo muito fraca e esmorecida na fé o jejum pode ajudar a fortalecer minha fé e me aprocimar de Deus q é tudo na minha vida e quanto mais eu busco mais vontade tenho de buscar o amor desse Deus tao amoroso,misericordioso e justo

Verdade seja dita disse...

Acredito q o jejum é a conexao mais direta q temos com Deus por isso devemos jejuar para nos purificar e nos santificar claro q muitas vezes jejuamos com propositos para se alcançar só acho q se estou me sentindo muito fraca e esmorecida na fé o jejum pode ajudar a fortalecer minha fé e me aprocimar de Deus q é tudo na minha vida e quanto mais eu busco mais vontade tenho de buscar o amor desse Deus tao amoroso,misericordioso e justo